FUNGOS BASIDIOMICETOS PDF

Alguns exemplos podem ser citados, como o cogumelo do mel ou Armillaria ostoyae. O fungo foi encontrado nos Estados Unidos. Descoberto na Floresta Nacional de Malheur , no leste do estado de Oregon. Objetivos: Testar o crescimento de cogumelos em 8 tipos de substratos diferentes. Alexopoulos, C.

Author:Brajin Makree
Country:Morocco
Language:English (Spanish)
Genre:Career
Published (Last):14 January 2015
Pages:280
PDF File Size:18.37 Mb
ePub File Size:12.76 Mb
ISBN:292-1-16587-588-7
Downloads:13100
Price:Free* [*Free Regsitration Required]
Uploader:Araran



Os fungos mais conhecidos so os formadores de bolores, mofos, cogumelos, orelhas-de-pau que pertencem classe dos Basidiomicetos. Os fungos no possuem clorofila e, assim, no fabricam o prprio alimento, alimentando-se de animais em decomposio, eles podem ser unicelulares ou pluricelulares, so seres eucariontes, ou seja, possuem clula organizada em membrana, citoplasma e ncleo envolvido pela carioteca. Vivem em ambientes quentes e midos, isso garante sua reproduo, que pode ser tanto assexuada quanto sexuada.

Alm de sua grande importncia ecolgica, hoje em dia possuem uma grande importncia na indstria alimentcia e farmacutica. Podem ser encontrados em troncos de rvores, solos midos, sobre plantas e outras matrias orgnicas.

Muitos so parasitas de vegetais, causando doenas, como carves e ferrugens. Os Basidiomicetos caracterizam-se por apresentarem os basdios, que so estruturas reprodutivas responsveis pela produo dos esporos denominados basidisporos. Os basdios podem se agrupar em um corpo de frutificao, constituindo o basidiocarpo conhecido como cogumelo.

Alguns Basidiomicetos produzem toxinas e alcaloides poderosos. Muitas espcies de Basidiomicetos so comestveis, como o Agaricus campestres conhecido como champignon. Eles so divididos em trs grupos principais: os fungos, as algas e os protozorios. Por apresentarem uma ampla diversidade, um ciclo de vida complexo, morfologia varivel, e mtodos alternativos de reproduo, os pesquisadores criaram esquemas de classificao, mas esta no uma tarefa fcil uma vez que um organismo pode mudar de categoria ao longo do tempo.

Os principais critrios analisados na classificao dos fungos so: caractersticas dos esporos sexuais e corpo de frutificao presentes durante os estgios sexuais dos seus ciclos de vida, natureza dos seus ciclos de vida, e caractersticas morfolgicas de seu miclio vegetativo ou de suas clulas. No passado, os fungos foram considerados plantas degeneradas que haviam perdido a clorofila e a capacidade de realizar fotossntese. Esse foi o motivo de, nas classificaes mais antigas, eles terem sido includos no reino das plantas.

A partir da dcada de setenta, os bilogos reconheceram que, por serem to diferentes dos outros grupos de seres vivos, os fungos mereciam ter um reino prprio: o Reino Fungi. O Reino Fungi dividido em trs principais grupos: fungos limosos, fungos inferiores flagelados e os fungos terrestres. Neste trabalho sero abordados os fungos terrestres, em especial o filo Basidiomicetos.

Os fungos terrestres incluem as espcies mais conhecidas como: leveduras, bolores, orelhas-de-pau, mofo, ferrugem e cogumelos. Os fungos terrestres no apresentam clulas mveis, a reproduo assexuada ocorre atravs de brotamento, fragmentao e produo de esporangisporos ou condios, j na reproduo sexuada temos a produo de zigsporos, ascsporos ou basidisporos, que o tema deste trabalho.

A cada ano so descritas entre 1,5 e 2 mil novas espcies. Estimativas calculam em mais de 1,5 milhes de espcies de fungos viventes. Os Basidiomicetos podem ser distinguidos de todos os outros fungos por possurem basdio, uma estrutura reprodutiva microscpica em forma de clava onde ocorre a cariogamia e a meiose. Cada basdio possui quatro basidisporos haploides resultantes de uma meiose.

O ciclo de vida esta relacionado com as condies sazonais, os basidisporos, por exemplo, so geralmente formados na primavera enquanto que os telisporos, no vero. Os fungos so organismos eucariontes uni ou pluricelulares, todos hetertrofos. Os fungos no dispem de clorofila ou de qualquer outro pigmento fotossintetizante. Assim, necessitam de matria orgnica para sobreviver.

Eles obtm os nutrientes de que necessitam por meio da absoro direta quando essas molculas so disponveis no meio em que vivem ou secretando enzimas digestivas ao seu redor para quebrar as macromolculas da matria orgnica que lhes serve de alimento, posteriormente, estes nutrientes resultantes so absorvidos. Realizam digesto extracelular do alimento e, em seguida a absoro de nutrientes. Eles se desenvolvem com extrema facilidade nos mais diversos ambientes, terrestre e aqutico.

No ar, os fungos esto presentes sob a forma de esporos microscpicos e de fcil absoro, que em contato com substratos orgnicos, se desenvolvem formando longos filamentos, as hifas, que passam a absorver as substncias minerais e orgnicas simples e solveis do substrato em que se encontram.

Esses organismos so de grande importncia por vrias razes: so os decompositores primrios em todos os ecossistemas terrestres; formam importantes associaes simbiticas de plantas vasculares em ambas as relaes de mutualismo e parasitismo; constituem a avassaladora maioria dos patgenos de plantas e como tais possuem um grande impacto econmico; e so extremamente importantes para a fermentao e biotecnologia industrial.

Os Basidiomicetos possuem uma reserva de glicognio, que a principal substncia de reserva dos fungos e dos animais. O glicognio, bem como o amido, so polissacardeos constitudos por uma cadeia de monmeros de glicose. Duas fraes compem o amido: a amilase, formada por uma cadeia linear, pouco ramificada e a amilopectina, muito ramificada. Esses organismos so eucariticos no vasculares, no formam tecidos verdadeiros e sua nutrio por absoro aclorofilados e heterotrficos.

Sua reproduo se d atravs de esporos meiticos sexual e mitticos assexual. Os fungos so heterotrficos, necessitando de fontes de carbono fixadas por outros organismos vivos ou mortos, vegetais, animais ou mesmo de outros fungos. Possuem pigmentos responsveis pelas cores variadas que apresentam, mas nenhum capaz de absorver energia para sntese de carboidratos a partir do CO2.

Existem trs principais grupos de Basidiomicetos: os Urediniomicetos, os Ustilaginomicetos e os Himenomicetos. A maioria das anlises filogenticas de sequncias do RNA ribossomal indica que cada grupo monofiltico, e isso se comprova atravs de evidncias ultraestruturais e bioqumicas.

A principal caracterstica morfolgica que distingue os Basidiomicetos dos demais filos de fungos o basdio, uma estrutura especializada para a produo de esporos exgenos, denominados basidioesporos que so encontrados em nmero de quatro ou dois raramente. As hifas ganham forma devido formao de paredes celulares internas, denominadas septos, que so centralmente perfurados.

Apresenta quitina como componente principal da parede celular. A maior parte dos fungos so miceliais e pluricelulares, entretanto, existem alguns, como as leveduras basidiosporgenas, que so unicelulares. Uma caracterstica presente somente em Basidiomicetos no em todos a fbula grampo de conexo.

A fbula um ramo de hifa formado em associao com a diviso de dois ncleos na clula apical da hifa dicaritica. Neste filo de fungos existe uma disperso que ocorre por uma descarga violenta de esporos denominados balitosporos. O basidiocarpo apresenta-se de vrias formas, conforme o que segue: Cogumelo: forma de chapu com textura macia e himnio exposto na superfcie do basidiocarpo, este tipo de corpo de frutificao dura pouco tempo.

Orelhas-de-pau: este corpo de frutificao dura muitas estaes, rgido e seu himnio formado por poros maioria e lamelas menor parte. Basidiocarpos cartilaginosos e gelatinosos: o Auricularia um Basidiomiceto cartilaginoso que possui forma semelhante a uma orelha e vive em troncos de rvores. Basidiocarpos em forma de coral: apresenta himnio exposto na superfcie, a Clavaria um exemplo deste fungo.

Basidiocarpos com outras formas: corpo de frutificao sem himnio apresenta formas diversas e ficam fechados at a maturao dos basdios. Basidocarpos ausentes: so microscpicos. A reproduo assexuada no envolve troca de gametas entre os indivduos, e os organismos formados so geneticamente idnticos ao organismo que os gerou. A forma assexuada pode ser por fragmentao do talo, brotamento em espcies unicelulares ou produo de vrios esporos assexuais.

A maneira mais simples de um fungo filamentoso reproduzir-se assexuadamente por fragmentao: miclio fragmenta-se originando novos miclios. Muitos fungos reproduzem-se assexuadamente por esporulao, com formao de clulas haploides dotadas de paredes resistentes, os esporos.

No brotamento, os brotos ou gmulas so formados nos fungos e podem manter-se unidos a eles, ou separar-se formando novo indivduo, j na esporulao, os corpos de frutificao produzem, por mitose, clulas abundantes, leves, que so espalhadas pelo meio areo. Cada clula dessas, um esporo conhecido como conidisporos, ao cair em um material apropriado capaz de gerar sozinho um novo mofo, bolor.

A maioria dos Basidiomicetos est capacitada para reproduo sexual e assexual. O nmero de sexos varivel de espcie para espcie. Algumas espcies possuem apenas dois sexos, enquanto outras podem ter quatro ou mais sexos. Os produtos da reproduo sexual, os basidisporos, podem ser fortemente ou passivamente liberados. A reproduo assexual pode consistir da simples fragmentao do talo, brotamento em espcies leveduriformes, ou produo de vrios tipos de esporos. Os Basidiomicetos podem crescer em uma fase de levedura clula simples , ou uma fase filamentosa hifas.

Muitos Basidiomicetos so capazes de produzir ambas as fases durante alguma parte do seu ciclo de vida, denominado dimrfico. As leveduras e hifas podem ser haploides ou dicariticas, entretanto leveduras dicariticas so raras.

Os membros sexuais dos Basidiomicetos iniciam seu ciclo sexual pela fuso entre clulas haploides e compatveis. Este processo conhecido como somatogamia, uma vez que o talo haploide fngico por ele mesmo desenvolve o papel que clulas gamticas especializadas desenvolveriam em planta e animais.

Os esporos assexuais podem algumas vezes agir como agentes de fertilizao, fundindo com outras clulas compatveis. Os dois ncleos da fase dicaritica permanecem separados, formando um ncleo diploide apenas em clulas que se desenvolvem dentro dos basdios.

A fuso do ncleo haploide para formar um diploide denominada cariogamia. O tempo entre a cariogamia e a meiose altamente varivel, e depende largamente da histria de vida do organismo. Algumas espcies sofrem meiose e formam basidisporos minutos aps a cariogamia, enquanto outras podem invernar antes de ocorrer a meiose.

Os basidisporos podem germinar para formar a fase haploide que pode reproduzir indefinidamente de maneira assexual. Alternativamente, o talo haploide pode ser capaz de apenas limitar o desenvolvimento, e deve participar na formao do talo dicaritico para o posterior crescimento ocorrer. Ciclo de vida generalizado do filo Basidiomicota 10 4. Estes se dividem por meiose para formar clulas haploides que se diferenciam em esporos. Os esporos resultantes dos processos sexuais nos Basidiomicetos so chamados de basidisporos.

Esses esporos so chamados de esporos sexuais, para indicar que eles tiveram origem a partir da meiose de um zigoto diploide, diferenciando-os dos esporos que se formam assexuadamente. O processo sexuado tem incio com o encontro de dois miclios sexualmente compatveis. Estas so constitudas por clulas com dois ncleos, cada um deles descendente de um dos miclios que se fundiram.

Quando eles se dividem, as clulas fornecem um exemplar de cada um de seus ncleos a suas clulas-filhas, de modo que a condio dicaritica se mantm nas novas hifas formadas.

Este novo miclio constitudo por hifas dicariticas chamado de miclio secundrio, e cresce e desenvolve-se, s vezes durante anos, antes que ocorra a fuso dos ncleos cariogamia e a formao de basidisporos.

Os miclios secundrios dicariticos constituem a fase predominante no ciclo de vida dos Basidiomicetos. Ao atingir uma determinada fase do ciclo, a clula terminal adquire a forma de uma clava e passa a ser denominada basdio. Os dois ncleos do basdio fundem-se cariogamia , originando um ncleo diploide que, imediatamente, se divide por meiose e produz quatro ncleos haploides. Enquanto a meiose ocorre, formam-se na superfcie do basdio quatro formas, que iro envolver os ncleos gerados, a partir da uma parede grossa se desenvolve transformando-se em um basidisporo.

Para dar inicio a um novo ciclo, o basidisporo maduro se desprende do basdio e so dispersos pelo ar e germinam assim que encontram condies favorveis. Estes fungos no possuem cavidades digestivas, eles crescem no interior da fonte de carbono e secretam enzimas digestivas que quebram biopolmeros e ento absorvem os nutrientes.

Os fungos se expandem dispersam esporos de acordo com sua necessidade de busca de novas fontes de carbono. Os Basidiomicetos so saprbios, ou seja, dependentes de matria orgnica morta, e tambm podem ser biotrficos, isto , dependentes de matria orgnica viva, neste caso podem ser parasitas ou simbiontes. Os saprbios vivem no solo, troncos mortos, folhas, animais mortos e exudados fludos inflamatrios de animais.

Os biotrficos vivem em associaes com outros organismos, beneficiando a si e tambm aos organismos a ele associado. Basidiomicetos, assim como a maior parte dos fungos, desenvolvem-se em ambientes midos, em temperatura entre 20 e 30C e pH prximo de 6. Atualmente o cultivo destes fungos in vitro e in sito muito utilizado para manuteno de ecossistemas e obteno de frmacos. O Agaricus bisporus, popularmente conhecido como Champignon, um dos fungos mais famosos devido a sua grande utilizao na culinria.

HISTORIA DEL ACTOR JORGE DUBATTI PDF

Diferen├ža entre ascomicetos e basidiomicetos | Ascomycetes vs Basidiomycetes 2020

.

HILARITY ENSUES TUCKER MAX PDF

Basidiomicetos

.

DIPAK GHOSH BOOK ON MAMATA PDF

Fungos: Basidiomicetos

.

KAOSSILATOR 2 MANUAL PDF

Basidiomycota

.

Related Articles